Cabelos tingidos pedem cuidados especiais durante o inverno

Tonalizante é indicado para quem tem poucos fios brancos.
Novas tinturas sem amônia prometem danificar menos o cabelo.

Saiba qual é a diferença entre tintura e tonalizante

Cabelo Bonito de Lado

A novidade que movimenta os salões de beleza é uma tintura sem amônia, que sempre foi considerada a vilã dos cabelos tingidos. A função da amônia é abrir as escamas do cabelo pra introduzir a cor, o que danifica os fios.

Esse novo sistema utiliza óleos que empurram o pigmento para dentro do fio do cabelo sem prejudicá-los. “Não provoca irritação, nem coceira. É um produto que não tem cheiro”, diz Hugo Moser, cabeleireiro.

O produto cobre 100% dos cabelos brancos, como as tinturas tradicionais. Quem tem poucos fios para esconder, pode optar pelo tonalizante, mas ele só funciona para escurecer. “O tonalizante não tem amônia, então ele agride menos os fios do cabelo, mas em compensação não tem poder de clareamento da amônia”, explica.

O cabeleireiro recomenda a aplicação do tonalizante com intervalo de até dois meses. Já as tinturas, devem ser retocadas no máximo a cada vinte dias, porque o crescimento da raiz fica evidente.

A hidratação no inverno é importante, já que a água mais quente do banho no inverno e os ventos gelados estragam os cabelos. Pontas ressecadas, fios arrepiados e falta de brilho são sinais de que é preciso tratar. “O cabelo fica com um aspecto mais saudável e com muito mais movimento quando se faz hidratação. Nesta época do ano, o cabelo tingido deve ser hidratado uma vez por semana”, afirma.

O bronzeado do verão já foi embora e os cabelos podem e devem ficar mais escuros no inverno para contrastar com a pele clara. Se quer ficar na moda, invista nos tons terrosos que vão desde o cobre até o marrom escuro.

Um jeito elegante de deixar para trás o estilo surfista é fazer as luzes 3D. A base do cabelo fica mais escura e as mechas menos marcadas. “Conforme ela mexe o cabelo vai aparecendo as nuances. Eu acho que é um visual mais chique, a mulher fica mais arrumada, com um cabelo mais saudável”.

Máscara para hidratar os cabelos

Um creme de abacate fácil de fazer em casa e barato ajuda na hidratação dos cabelos. A farmacêutica Maria Alícia Ferrero ensina como a máscara deve ser produzida.

Se o cabelo for ressecado, coloque meia fruta no liquidificador, um pote de iogurte natural e duas colheres de sopa de óleo de amêndoas. Se o cabelo for oleoso, substitua o óleo por mel, na mesma quantidade. Bata tudo em meio copo d’água.

Para usar o creme, lave o cabelo normalmente, espalhe a mistura e massageie. Coloque uma touca e deixe agir por 40 minutos. Enxágue. A máscara pode ser usada pelo menos uma vez por mês.

(Fonte: Jornal Hoje)

Assista o vídeo: http://g1.globo.com/videos/jornal-hoje/v/saiba-qual-e-a-diferenca-entre-tintura-e-tonalizante/1522594/

Anúncios

Abraço gera bem-estar, conforto e ainda combate o estresse

Abraço gera bem-estar, conforto e combate o estresse (Minha Vida)

O gesto é a maneira mais universal de manifestar apoio e carinho

Está para ser criado gesto tão significativo quanto o abraço. Ao mesmo tempo em que conforta e protege, ele proporciona uma sensação prazerosa a quem envolve e é envolvido. O ato ativa as regiões temporais e frontais do cérebro, que são ligadas ao prazer.
Segundo a neurologista Sonia Brucki, vice-coordenadora do departamento de neurologia cognitiva e do envelhecimento da Associação Brasileira de Neurologia, o abraço faz com que o cérebro libere dopamina e serotonina, hormônios do prazer. "Você estabelece uma empatia com a pessoa, percebe o sentimento dela. Isso dá uma sensação prazerosa", explica.
O abraço também é uma ótima alternativa para sanar o grande mal moderno: o estresse. Estudo realizado pela Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, indica que abraçar diminui os níveis de cortisol e a norepinefrina, hormônios relacionados ao estresse, além de diminuir a pressão sanguínea, o que previne doenças cardíacas. O aumento da taxa de uma substância chamada oxitocina também é notável. Quanto mais oxitocina o cérebro libera, mais a pessoa quer ser tocada e menos estressada ela fica: ou seja, quanto mais abraçada ela é, mais ela deseja ser abraçada.

Mãe e filha se abraçando - Getty Images

Portanto, embora não combata diretamente as causas do estresse – sejam elas vindas de problemas familiares, do trabalho, entre outras -, o abraço acolhe a pessoa de tal forma que pode melhorar, e muito, a disposição e a maneira de encarar os problemas.
Outro mal da mente a ser tratado com ajuda do abraço é a depressão que, hoje, é a maior causa da diminuição da expectativa de vida do brasileiro, segundo recente estudo publicado pelo periódico Lancet. De acordo com a psicóloga Glauce Assunção, do Hospital São Camilo, o depressivo tende a não ver saídas e, com o abraço, ele pode se sentir acolhido, por causa da boa sensação proporcionada pelo toque. "Mesmo não sendo a cura, esse apoio e amparo são necessários para que o depressivo se sinta seguro. É um reforço ao tratamento", afirma.
Abrace sua família
Glauce afirma, no entanto, que as pessoas se abraçam pouco hoje em dia. O distanciamento não está presente apenas em meios externos, como o escolar ou corporativo, mas também dentro dos lares. Segundo a psicóloga, a raridade do abraço no âmbito familiar causa até estranhamento na criança que, sem o hábito de abraçar, acaba recebendo esse conforto de outra pessoa. O ideal é que as pessoas consigam, em casa, pelo menos um abraço todos os dias. Isso reduz significativamente os atritos na família, como uma bandeira branca.

Ela também lembra que o abraço faz com que a criança se sinta protegida e acolhida, sensação mais do que necessária na infância. "O abraço ficou cada vez mais distante. Hoje em dia, as crianças sentem falta disso. O pequeno chega em casa, já vai ao computador, enquanto a mãe vai à cozinha fazer a janta. A criança fica desprotegida", diz Glauce. Abraçar o pequeno o fará uma pessoa mais segura – imagem que ele transmitirá fora de casa.

O gesto também é imprescindível entre o casal. Quando o assunto é envolvimento sentimental, a psicóloga afirma que abraçar é um ato mais forte que beijar. "Ele reforça os relacionamentos, reduz as diferenças. O abraço acalma e é mais significativo que um beijo na boca ou no rosto."

Melhore o dia de alguém

Para melhorar o dia de uma pessoa, não é necessário muito esforço, apenas um abraço. Faça o teste: experimente abraçar alguém que você tenha algum carinho e perceba como o sorriso dessa pessoa muda. Ela se sentirá importante, protegida e com mais disposição. "Quem abraça é capaz de sentir o outro, combate suas tristezas, incertezas. Você sustenta as lágrimas da pessoa, lhe dá sensação de conforto", reforça Glauce. No entanto, nem pense em sair abraçando qualquer um. Abraçar por abraçar, sem intimidade real, pode causar efeitos contrários. "Se for forçado, você não se sentirá bem porque, quando você abraça, você recebe de volta, esse toque é mútuo. Não adianta dar algo falso", argumenta a psicóloga.

  

(Fonte – Minha Vida – Por Ana Paula de Araújo)

Bolsas – Saiba como escolher o tamanho ideal para o seu tipo de corpo

Escolha a bolsa ideal para o seu tipo de corpo

Estilistas mostram o que levar em conta na hora de escolher o acessório.
Alguns modelos ajudam a valorizar ou disfarçar a silhueta.

As mulheres altas podem usar quase todos os tamanhos. Quem está acima do peso deve evitar os modelos pequenos. Eles não vão se destacar no seu corpo.
Já as mulheres baixas devem usar bolsas menores, mas se você é baixinha e gosta dos modelos grandes, a bolsa deve ter no máximo 30 centímetros de altura e 40 de largura, para não vai ficar desproporcional.
A estilista Taís Macedo ensina um truque para descobrir o tamanho ideal de uma bolsa a tiracolo. “Ela deve cobrir o seu quadril. Para ver se você está usando corretamente, meça a altura dos ombros até o começo do quadril. Numa mulher de um metro e sessenta, por exemplo, essa medida é em torno de 50 centímetros. Aí que deve começar a sua bolsa”, explica.
Se ela ultrapassar essa medida vai dar um ar desleixado. Não permita que seja mais de cinco centímetros. Se ficar muito acima do quadril, vai encurtar seu corpo.
Se você tem mais de cem centímetros de quadril, a lateral da sua bolsa não deve ter mais de 12 centímetros. Se você tem quadril estreito, as bolsas mais largas vão dar a impressão de que ele é maior.
Outra dúvida comum é como combinar bolsas e sapatos. Não é preciso usar a mesma cor. Se a bolsa for muito colorida ou tiver muita textura, o sapato deve ter uma cor neutra. Se o sapato tiver várias cores, evite estampas e texturas na bolsa.

Assista o Vídeo: http://g1.globo.com/videos/jornal-hoje/v/veja-como-calcular-o-tamanho-da-bolsa-em-relacao-ao-quadril/1520393/

Jornal Hoje – Edição do dia 27/05/2011

Depilação – Além do Buço – II

Isabelle Lindote –

Já falamos por aqui sobre os indesejáveis pelos do buço, que fazem milhões de mulheres buscarem as melhores técnicas para resolver o problema. E quando eles aparecem em outras partes do rosto: o que fazer? “Aumento genético de pelos é algo muito comum e pode ser minimizado com qualquer método de depilação que não cause irritação na pele. A escolha do método é algo muito pessoal”, afirma a dermatologista Barbara Uzel (DF).

De acordo com a especialista, com exceção das pálpebras, os pelos podem aparecer em qualquer parte da face. “O rosto contém uma grande quantidade de glândulas pilossebáceas, que por estímulo de alguma doença hormonal podem evoluir para a proliferação anormal de pelos”, explica a médica.

Na verdade, há pelos em diversos lugares, da face e do corpo, os quais nem percebemos, por serem muito fininhos, praticamente imperceptíveis. Em outros locais eles não existem mesmo, como no pescoço feminino, nas palmas das mãos, na planta dos pés e nas pálpebras – região fora dos cílios. Os homens possuem naturalmente mais pelos por conta dos hormônios andrógenos (testosterona, entre outros), que estimulam a virilização e o desenvolvimento de barba e pelagem no peito, no tronco, nos braços e nas pernas.

No entanto, há doenças que podem provocar crescimento anormal de pelos, que neste caso é preciso de atenção médica. “Distúrbios hormonais com aumento da produção androgênica como Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP), Tumores Ovarianos, Tumor de Glândula Supra Renal , entre outros, além do uso de Anabolizantes são algumas das causas mais comuns”, conta Uzel.

O primeiro passo é consultar um endocrinologista para tratar a disfunção hormonal, do contrário os pelos vão persistir, não importa a forma que se tente tirá-los. Uma vez tratada ou controlada a doença, deve-se complementar o tratamento com um método depilatório. “Geralmente recomendamos o laser, por oferecer uma redução mais prolongada dos fios indesejados, mas há pessoas que conseguem uma boa adaptação com lâmina, cera , linha ou até com creme depilatório. O que não é recomendado é manter um método que não esteja dando certo, seja ele qual for”, finaliza a dermatologista. Na dúvida, como o crescimento de pelos por problemas de saúde pode ocorrer em qualquer fase da vida, consulte um especialista antes iniciar qualquer tipo de depilação no rosto.

 

(Fonte: Yahoo Beleza e Saúde)

Dia Nacional da Adoção – Campanha Laços de Amor

Você se Depila por quê? – I

Isabelle Lindote

Para algumas pessoas, manter o corpo depilado é como tomar banho ou escovar os dentes, ou seja, essencial para a manutenção da higiene pessoal. Para outras, depilar-se é uma verdadeira tortura, só sendo praticada por uma questão social. Mas será que se trata realmente de uma questão de saúde? E quem afinal nunca comentou sobre a depilação alheia ou atrasou-se para ir à praia por conta de pelos fora do lugar?

De acordo com a dermatologista Renata Domingues, pós-graduada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e membro efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia, a depilação tem finalidade puramente estética: “Há uma relação direta com os costumes e a cultura da população. Na maioria dos países, estar depilada é sinal de higiene”. A médica salienta que a sensação de limpeza é inegável. “Existem casos em que a depilação pode evitar certas contaminações, como o aparecimento de chato, parasita que provoca coceiras e feridas na base dos pelos”, afirma.

Por ser uma escolha pessoal, o problema está quando há exagero, tanto no excesso de zelo com a depilação quanto com o desleixo em relação aos pelos. “Sabemos que eles têm algumas funções em nosso corpo, como reter calor e manter a temperatura, além de proteger determinadas áreas, no caso do nariz”, explica a especialista. “É importante lembrar que, muitas bactérias, classificadas como hospedeiras, vivem em nossa pele. Isso não é ruim, mas qualquer alteração na imunidade tende a desequilibrar esta relação de convivência pacífica”. A depilação com cera e lâminas pode romper este equilíbrio local e cada microlesão acaba servindo para perpetuar infecções na pele ou na base de cada pelo. O cuidado precisa ser redobrado na hora de depilar as regiões íntimas.

Conhecida no exterior, a depilação íntima brasileira é mais cavada e faz sucesso por retirar todos os pelos, o que aumenta a sensibilidade na região mas também, como já exemplificado, pode aumentar também a fragilidade natural do corpo a doenças oportunistas. Há alguns anos, o que se via era o contrário: muitos homens e mulheres aderiram à moda naturalista, com pelos à mostra e crescendo livremente, o que causava estranheza em alguns e uma sensação de liberdade em outros.

Seja qual for sua opção pessoal sobre a manutenção dos pelos, buscar um equilíbrio é fundamental para que a estética e a saúde saiam ganhando. Se prefere deixá-los crescer em algumas partes do corpo, é aconselhável mantê-los curtos e aparados, para evitar a proliferação de bactérias e fungos. Já os adeptos da depilação total podem investir em produtos que auxiliem na proteção natural do organismo, sempre com orientação médica.

(Fonte: Yahoo Beleza e Saúde)

Divã – Primeiro Episódio – em New York

Se você não assistiu o primeiro episódio, assista aqui!

http://www.youtube.com/watch?v=uaYL1Jm0IyE&feature=related

 

A estreia de 'Divã' está prevista para abril, na Rede Globo. Foto: Roberto Filho/AgNews

Entradas Mais Antigas Anteriores