Benefícios do Limão

Limão ajuda a combater a Osteoporose e o Diabetes, entre outros benefícios.

 

Paracetamol – Abuso pode ser Fatal

Dose de paracetamol acima do recomendado pode matar

Pesquisadores analisaram 161 casos de ‘overdose escalonada’

Ingerir uma dose um pouco acima da recomendada do analgésico paracetamol pode ser fatal. A conclusão é de uma pesquisa da Universidade de Edimburgo, publicada no jornal British Journal of Clinical Pharmacology.
Pesquisadores britânicos analisaram 161 casos do que denominaram de “overdose escalonada” durante seis anos. Segundo eles, muitas pessoas que usam a droga para combater uma dor não percebem quando tomam um pouco mais do que precisariam. E acabam repetindo tal procedimento por diversas vezes.
“Não é uma overdose maciça, do tipo ingerida por pessoas que tentam se matar, mas com o tempo os danos se acumulam e podem ser fatais”, diz Kenneth Simpson, um dos responsáveis pelo estudo.
Para realização da pesquisa, foram  estudados 663 pacientes que haviam sido admitidos no centro médico Royal Infirmary, em Edimburgo, com dano no fígado provocado por paracetamol. Ao todo, 161 deles haviam tomado overdoses sucessivas, normalmente para aliviar dores como dores abdominal, muscular, de cabeça e de dente.
De acordo com o estudo, tal problema dificilmente é detectado por meio de exames sanguíneos, já que pessoas com overdoses sucessivas podem ter níveis baixos de paracetamol no sangue.
Os efeitos para a saúde de overdoses  de paracetamol são mais graves do que uma única overdose com grande quantidades de comprimidos, dizem os pesquisadores.
Normalmente, cada comprimido contém cerca de 500 mg de paracetamol e recomendações gerais indicam que adultos podem ingerir até, no máximo, dois comprimidos a cada quatro ou seis horas.

Fonte: Yahoo Notícias

Alimentos Bons para a Circulação

Proteja as artérias

Eles podem ajudar a reduzir o colesterol e baixar a pressão, entre outros benefícios para a saúde

Divulgação

Estes alimentos incríveis reduzem o risco de arteriosclerose, baixam o colesterol , diminuem a pressão, reduzem as inflamações, neutralizam radicais livres nocivos, reduzem as chances de desenvolver síndrome metabólica, mantêm baixo e estável seu nível de açúcar no sangue e mantêm seu coração batendo em um ritmo saudável. Quer mais?

1 – Amêndoas torradas com a casca – Um punhado de amêndoas contém incríveis 9 g de gordura monoinsaturada, que ajuda a reduzir o colesterol ruim e aumentar o bom. Escolher amêndoas em vez de um bolo ou batatas fritas para dois lanches por dia pode reduzir o colesterol “ruim” em quase 10%. A vitamina E natural que existe na “polpa” da amêndoa, além dos flavonoides presentes na casca, ajudam a parar o crescimento da placa que entope as artérias. Mas não consuma demais, ou vai acumular calorias.

2 – Tomates frescos, secos ou molho – Comer sete ou mais porções por semana diminui em 30% o risco de doenças cardiovasculares, segundo um estudo feito com mais de 35 mil mulheres. De acordo com a pesquisa da Universidade de Oulu, na Finlândia, 30 g de ketchup e 400 ml de suco de tomate por dia diminuem em 13% o nível de colesterol “ruim” (LDL) depois de três semanas. Como? Pode ser o antioxidante licopeno ou os níveis altíssimos de vitamina C, fibra e potássio encontrados no tomate. Cozinhá-los por 30 minutos ou mais aumenta o nível de licopeno. E 15 g de tomates secos têm mais potássio, que faz a pressão arterial baixar, do que uma banana média.

3 – Abacates – Em um estudo do Instituto Mexicano del Seguro Social, homens e mulheres que comiam um abacate por dia reduziram o colesterol total em 17%. O nível de LDL e triglicerídeos nocivos caiu, e a taxa do bom HDL subiu graças, talvez, ao alto nível de gordura monoinsaturada “boa” do abacate. O fruto é ainda repleto de betassitosterol, que reduz o colesterol.

4 – Salmão – Entre os peixes ricos em ômega-3, o salmão é o rei. Uma porção contém cerca de 1,8 g de ácido eicosapentaenoico (EPA) e de ácido docosa-hexaenoico (DHA), ácidos graxos que ajudam a diminuir o risco de arritmias cardíacas fatais e reduzir o colesterol, a inflamação, a arteriosclerose e a formação de coágulos.

5 – Aveia – A betaglucana, fibra solúvel presente nos cereais, age como uma esponja, prendendo os ácidos biliares ricos em colesterol no intestino e os eliminando. O resultado são níveis baixos de LDL porque há menos colesterol para ser absorvido pela corrente sanguínea. Uma tigela grande de aveia por dia – cerca de 225 g – pode reduzir o colesterol em mais 2% ou 3%, sugere um estudo publicado no Journal of the American Medical Association. (Fonte: Guia de Saúde e Longevidade – Reader’s Digest)

Livre-se das dores nas costas – Parte II

Livre-se da dor nas costas e entre em forma ao mesmo tempo.

Diversas modalidades das academias ajudam a pôr a coluna na linha

 Getty Images

Se você usa suas frequentes dores nas costas como pretexto para fugir das atividades físicas, jogue a toalha e desista da estratégia. Muitos exercícios, além dos vários outros benefícios que oferecem a seus praticantes, se transformam em aliados de quem sofre com os desvios e incômodos da coluna.
Para te convencer de que a academia pode ser o lugar certo para corrigir a má postura e espantar as dores que vêm na bagagem, o Minha Vida enumerou modalidades eficazes para pôr você na linha. Antes de escolher sua atividade, porém, é preciso ter um aval médico para a prática de exercícios. Se houver algum tipo de inflamação na coluna, o problema precisa ser tratado primeiro.
“Depois, a pessoa pode recorrer aos exercícios que fortalecem a musculatura e diminuem a sobrecarga que os movimentos do dia a dia causam à coluna” , alerta Marcelo Jaime, professor de Bio Pilates da academia Bio Ritmo.

Bio Pilates

A modalidade caracteriza-se por ser uma aula de condicionamento postural, garantindo equilíbrio e fortalecimento da musculatura paravertebral, aquela que envolve e sustenta a coluna. Mat, overball e fitball são os equipamentos nos quais as séries de exercícios são baseadas.
“O mat é um colchão fininho que auxilia os movimentos feitos no solo. Já overball, é o nome de uma bola meio murcha, com cerca de 20 centímetros de diâmetro. Ela cria instabilidade na hora das movimentações, fazendo com que a musculatura mais profunda das costas e do abdômen trabalhe” , esclarece o professor Marcelo.
Participando das aulas de duas a três vezes por semana, é formada uma espécie de cinturão com os músculos das costas e do abdômen, garantindo uma sustentação melhor da coluna.
Quando o caso é de desvio estrutural na coluna, como escoliose, Marcelo afirma que os exercícios não são capazes de corrigir o problema. A boa notícia, no entanto, é que há uma melhora significativa nas dores. Na escoliose, por exemplo, a pessoa apresenta um lado das costas alongado e outro contraído. As séries de Bio Pilates fortalecem os músculos mais alongados, que normalmente são fracos e flácidos, e relaxam a musculatura tensionada, equilibrando a musculatura de uma maneira geral .

Pilates de estúdio

Assim como o pilates feito no solo, a modalidade realizada em aparelhos traz benefícios a quem enfrenta as dores na coluna. Segundo a professora da Bio Ritmo, Amanda Bellotto, a diferença entre os dois tipos de pilates é que a aparelhagem do estúdio permite variações na intensidade dos exercícios, já que apresentam cargas. No solo, o peso do próprio corpo é carga.
As vantagens da prática da atividade somam melhora na postura, alívio das tensões e fortalecimento de toda a região das costas e abdominal. As aulas são ótimas para quem passa muito tempo sentado no trabalho, quem não mantém uma boa postura e também para quem tem algum problema de coluna , esclarece Amanda.
A professora explica que tantas melhoras acontecem porque os exercícios trabalham a coluna de todas as formas: flexão, lateral e extensão.
“Os exercícios promovem uma oxigenação entre as vértebras, o que lubrifica e ajuda na articulação do disco vertebral, localizado entre elas” , ressalta. “O desgaste do disco vertebral é responsável por inúmeros transtornos à coluna, entre eles, a hérnia. Por isso Amanda destaca a importância de promover esta lubrificação e espaço entre as vértebras”.
Os resultados podem ser notados quando o aluno frequenta as aulas de duas a três vezes por semana. Em um mês, já dá para notar melhoras gerais no bem-estar. Os benefícios à postura e coluna são percebidos em, pelo menos, três meses de prática , incentiva.

Bio Postural Flex

Com lições para organizar a postura, a aula é ótima opção para quem estava sem se exercitar há algum tempo. De acordo com o professor da Bio Ritmo, Fernando Fonseca, o sedentarismo causa encurtamento dos músculos paravertebrais, que rodeiam a coluna. Com o encurtamento, estes músculos acabam deixando as vértebras umas mais próximas das outras. “Os exercícios da aula aumentam a elasticidade destes músculos” , diz ele.
Fernando afirma que é importante passar por uma avaliação postural, antes de começar a freqüentar as aulas. Os exercícios são específicos e variam de acordo com o problema do aluno , fala sobre mais uma possibilidade da aula, que pode ser feita individualmente ou em turmas.
Na prática, os participantes da aula fazem movimentos lentos de força, permanecendo em posturas diferentes por alguns segundos ou minutos. Tudo isso com ajuda de um equipamento que conta com hastes e encosto reclinável.
Para notar os benefícios, é preciso participar das aulas de Bio Postual Flex três vezes por semana. Os alunos mais aplicados, que quiserem intensificar o treino, podem aliar a atividade a outros tipos de exercícios, caso não haja restrição médica.

Musculação

“A prática de musculação pode ser usada como mais uma medida para fortalecer as costas, a região abdominal e peitoral. As séries para atingir o objetivo de equilibrar a postura podem ser feitas nos aparelhos ou com os pesos livres” , ensina Vanessa Carvalho, professora da Competition.
Assim como nas outras modalidades, a única restrição da musculação às pessoas com dores nas costas é feita quando as crises aparecem. Se fizer exercícios sentindo dor, o incômodo pode se intensificar . O restante dos cuidados varia conforme a patologia do aluno. “Um aluno com hérnia de disco ou lombalgia precisa fazer exercícios que fortalecem as costas e, ao mesmo tempo, evitar a sobrecarga”, exemplifica Vanessa.
Caso o praticante se exercite de duas a três vezes por semana, o fortalecimento progressivo vai sendo notado. As melhoras significativas, no entanto, aparecem por volta do terceiro mês de prática.

 

Yoga

“As posturas e os alongamentos trabalhados no yoga ajudam a alinhar a fortalecer a região dos músculos paravertebrais”, explica o professor da Competition, Mário Américo. Ainda de acordo com ele, o eixo central do corpo serve de base para os exercícios e movimentações do yoga. “Muitos exercícios, como as torções e posturas, são focados na coluna e, em geral, trabalham para manter a curvatura natural dela. Isso certamente ajuda quem sofre com as dores nas costas”, reforça.
Mais uma vantagem da prática de yoga é que os resultados são quase imediatos. Quando as dores nas costas são causadas pelo acúmulo de tensões do dia a dia, o alívio é notado já nas primeiras aulas. “A respiração correta e a meditação ajudam a aliviar as tensões, melhorando as dores” , garante Mário.
Já quem apresenta algum problema mais grave na coluna, precisa contar ao professor. Assim, ele adapta os exercícios, conforme a necessidade do aluno. Vale lembrar que é muito importante buscar profissionais capacitados e que respeitem a condição física do aluno. Caso contrário, o efeito pode não ser o esperado e o aluno ainda corre o risco de se machucar .

Alongamento

Luciano Sanchez, professor da Bio Ritmo, esclarece que a dor indica algum tipo de lesão. “Isso acontece quando o músculo não está alongado ou forte o suficiente”, diz. As aulas de alongamento, então, entram em ação para melhorar o primeiro causador das dores nas costas.
Na prática, os alunos trabalham os músculos dos pés à cabeça, na parte posterior e inferior do corpo. “A gente usa alguns equipamentos, como as tiras e as borrachas de alongamento, que auxiliam os iniciantes a melhorar a performance” , fala o professor da aula que, em geral, dura 30 minutos.
Segundo Luciano, as séries de alongamento podem ser feitas não só nas aulas, mas também em casa. “Quanto mais alongamento, melhor. A gente aconselha os alunos a realizarem os alongamentos logo que acordam, ainda na cama para espreguiçar todo o corpo. Basta ficar de 20 a 30 segundos nas posições que aprendem em sala” , conta.
Porém, o professor da Bio Ritmo ressalta que o alongamento só é capaz de amenizar as dores. “O fortalecimento da região das costas e dos músculos abdominais só é adquirido com alguma atividade física complementar” , afirma.

Yahoo Beleza & Saúde

Livre-se das dores nas costas – Parte I

Elimine a dor lombar com essas dicas.

Fazer aquecimento e alongamento são algumas das dicas para acabar com esse incômodo

Getty Images

A dor lombar afeta cerca de 80% da população adulta ao redor do mundo. Ela é a segunda maior causa de consultas médicas, ficando atrás apenas das gripes. Os prejuízos são muitos. Atividades rotineiras são prejudicadas, sua energia fica limitada, te deixando cansado, desanimado e até depressivo.

Mas existem muitas causas para as dores lombares e muitas maneiras simples de eliminá-las. Elas não precisam fazer parte da sua vida.

Confira abaixo algumas simples dicas que vão te ajudar a acabar com as dores lombares. Para eliminá-las completamente é importante fazer alongamentos, exercícios para a lombar e para o abdômen, sempre orientados por um fisioterapeuta.

Compense os efeitos da gravidade

A maioria dos adultos passa o dia todo andando, sentado ou de pé. A gravidade causa uma sobrecarga aos músculos, ligamentos e discos intervertebrais da região lombar. Levando a uma das causas mais comuns de dores lombares: a compressão discal. Uma solução é optar por deitar-se quando possível.


Faça aquecimento

Não apenas antes dos exercícios, mas sempre! Jardinagem, atividades domésticas, carregar objetos pesados e trabalhar comumente causam dores lombares.

Faça um alongamento lombar

Alongue sua lombar antes de ir para a cama, quando acordar pela manhã e ao final do dia de trabalho. Existem alongamentos simples que diminuem a tensão e preparam sua lombar para o dia seguinte, como abraçar as pernas enquanto está deitado.

Faça exercícios para a lombar

Faça exercíciosespecíficos para aumentar a força de sustentação lombar. Isso inclui exercícios para o centro de força, ou seja, abdômen, períneo e diafragma.

Se a dor persistir procure ajuda

Existem inúmeras maneiras de eliminar a dor lombar sozinho. Porém, nada substitui uma consulta com um profissional especializado em dor lombar.

Não espere a dor aumentar

É mais fácil eliminar a dor lombar quando ela é tratada no estágio inicial. A maioria das pessoas espera até que não consiga mais se mover, ou que a dor comece a irradiar para as pernas.

O primeiro passo para aliviar a dor não é tratar músculos ou articulações. Mas sim identificar a causa que gerou a dor lombar. Como a má postura ou movimentos executados diariamente de forma incorreta.

Para obter resultados de longa duração é necessário eliminar as causas e os sintomas da dor. Métodos como a acupuntura e a osteopatia e exercícios, como o pilates, acompanhado de um instrutor, ajudam a eliminá-los.

No próximo post daremos dicas e sugestões de exercícios.

Yahoo Beleza & Saúde

Sono pode preservar as Memórias Emocionais Desagradáveis, diz estudo

 

“Estudo diz que o sono tem efeitos significativos sobre as memórias e os sentimentos das pessoas”

Um estudo feito por pesquisadores do sono da Universidade de Massachusetts Amherst, nos Estados Unidos, sugere que a resposta emocional de uma pessoa depois que ela testemunha uma situação perturbadora, ou traumática, fica reduzida se a mesma permanece acordada. Por outro lado, se a pessoa dormir depois da experiência, o sono pode ajudar a ‘proteger’ a resposta emocional negativa.

Além disso, se a imagem inquietante for vista de novo por aqueles que dormiram, ou ocorrer um flashback, a sensação será tão forte como da primeira vez – em comparação com os que ficaram acordados. Publicada no Journal of Neuroscience, essa pesquisa é a primeira a indicar tal possibilidade.

De acordo com os neurocientistas Rebecca Spencer e Bengi Baran, tal comportamento pode ter um sentido evolutivo, já que reforçaria a sobrevivência do que foi presenciado pelos nossos ancestrais. Para os pesquisadores, ao preservar emoções muito negativas e guardar memórias de situações de risco, seríamos incentivados a evitar ocasiões semelhantes no futuro.

‘É interessante notar que é muito comum ser privado de sono depois de testemunhar uma cena traumática, é quase como se o seu cérebro não quisesse dormir com isso’, dizem os pesquisadores.

Os experimentos feitos durante a pesquisa envolveram 68 mulheres e 38 homens saudáveis, todos jovens entre 18 e 30 anos. Rebecca Spencer e sua equipe de pesquisa começaram a explorar, entre outras ideias, a suposição de que o já conhecido aprimoramento da memória, que ocorre durante o sono, estaria amarrado a uma mudança na resposta emocional dentro da memória.

Além disso, os neurocientistas também avaliaram os grupos usando uma polissonografia com eletrodos, que foram ligados ao couro cabeludo dos indivíduos enquanto eles dormiam. O objetivo era investigar se estavam sonhando ou se sofriam outros processos cerebrais durante o movimento rápido dos olhos, já que esses períodos de sono podem ter um papel importante no processamento das emoções.

Os participantes também foram analisados em vários teste, em que viam fotos na tela de um computador e precisavam determinar se eram tristes ou felizes, calmas ou excitantes, em uma escala de 1 a 9. As respostas que iam de 1 a 3 foram classificadas como negativas e de 4 a 6 como neutras. Horas mais tarde, eles tinham acesso a um mix de novas e as já conhecidas imagens, para então serem questionados se já tinham visto alguma delas e solicitado que as enquadrassem novamente em duas escalas. Uma parte do grupo tinha dormido antes das imagens, outros descansaram muito tempo depois. Todos mantiveram um diário do sono.

Para Spencer e sua equipe, o sono tem efeitos significativos sobre as memórias dos participantes e seus sentimentos. A memória de reconhecimento para as fotos foi melhor depois do sono, em comparação com os que ficaram acordados.

Ao contrário das suposições anteriores de que o sono pode amenizar os efeitos emocionais negativos de um evento perturbador, esse estudo mostra que o período de sono ‘mantém a força dos sentimentos negativos iniciais se comparados com um período de vigília’, explicam os pesquisadores. Isto sugere que o efeito do sono na memória e na emoção são independentes

Fonte: MSN

Infarto: Por que o Coração Para de Funcionar?

Sedentarismo, maus hábitos alimentares e estresse contribuem para o problema

Thinkstock

Estar acima do peso, levar uma rotina estressante, fumar, não praticar exercícios e ter maus hábitos alimentares são fatores determinates para desencadear o mais popular e perigoso problema de saúde do Brasil: o infarto do miocárdio, ou, como é conhecido popularmente, o ataque cardíaco. De acordo com dados do Ministério da Saúde, o país registra uma média anual de 70 mil mortes por infarto. O alto índice de óbitos não é restrito aos brasileiros. O problema é de escala mundial e atinge até mesmo pessoas que mantém uma rotina saudável.

O que acontece no coração

O ataque cardíaco é, basicamente, a morte do coração. O músculo cardíaco para de receber sangue – que leva oxigênio e nutrientes aos tecidos do órgão – e a falta de irrigação, consequência do entupimento das artérias coronárias, faz com que ele pare de funcionar.

O processo que desencadeia o problema é relativamente lento e pode levar anos. “Embora ele seja súbito, o excesso de colesterol, ou seja, a gordura, vai se acumulando ao longo dos anos nas paredes internas das artérias até interromper totalmente o fluxo de sangue”, explica o cardiologista Maurício Wajngarten.
De acordo com o especialista, o sangue passa a fluir devagar devido ao engrossamento das tais placas de gordura (ateromas) nas artérias. Com isso, o coração passa a ser menos irrigado e sinaliza isto sob a forma de uma intensa dor, chamada angina. “Nas pessoas que já têm uma predisposição genética, ou que apresentam um ou mais fatores de risco, como hipertensão ou diabetes, este processo é muito mais intenso”, diz o cardiologista.

No passo seguinte o ateroma se quebra para cobrir a ferida, o que faz com que as plaquetas se unam para formar um coágulo de sangue (trombo) até aparecer o responsável pela total obserução da artéria: um coágulo que impede que o sangue passe e, preso, ele deixa de irrigar o miocárdio. A duração deste processo todo leva apenas alguns minutos. No entanto, se ultrapassar 20 minutos, o dano pode ser irreversível. “A gravidade de um infarto depende muito do tamanho da área atingida do coração. Se o bloqueio for em uma das principais artérias, é necessário que o atendimento médico seja urgente. Caso contrário, é morte certa”, alerta Wajngarten.
Os sintomas de que um infarto está prestes a acontecer nem sempre são evidentes: além da dor ou pressão no peito, pode haver falta de ar, dores nos braços, pescoço, ombros e costas, enjoos e até mesmo um desmaio. No entanto, algumas pessoas passam pela experiência sem sentir absolutamente nada.

Tratamentos e prevenção
Nem todo infarto é fatal e existem formas de tratamento para quem já passou pela experiência. De acordo com o cardiologista, a medicina oferece medicamentos para revascularizar a área atingida.

Há também procedimentos e intervenções cirúrgicas, como a angioplastia, que devolve a irrigação através de um cateter que viaja pelos vasos até o coração. Nesta técnica, uma uma espécie de balão inflado alarga as artérias estreitadas e libera a passagem do sangue. Em muitos casos, uma espécie de mola pequena (stent) é colocada para garantir a passagem do sangue e, consequentemente, a irrigação do músculo.
Já a ponte de safena é usada em casos mais graves, onde várias artérias foram bloqueadas pelas placas de gordura. A taxa de sucesso dessas técnicas chega a 90%. “Evitar um infarto exige cuidados relativamente simples. Se manter longe de fatores de risco, como o tabagismo e o sedentarismo, já é um começo”, recomenda o cardiologista. Alimentação balanceada, controle do colesterol e pressão arterial também influenciam. Assim como deve-se procurar alternativas para aliviar o estresse e a tensão.

Fonte: Yahoo

Entradas Mais Antigas Anteriores