O calor afeta o seu humor?

O calor afeta o seu humor?

Verão: tempo quente, o sol colorindo as paisagens, praia, piscina, férias, alto astral, certo? Há algumas exceções… Nem sempre curtimos os dias claros como gostaríamos, nem sempre estamos de férias, nem sempre esse calor desperta o nosso bom humor.

Cada estação traz seus convites, que captamos ao observá-las: inverno é tempo de se recolher, de estar mais internalizado, é a época de hibernar. A primavera é a estação de florescer, que nos encanta com sua beleza, que nos convida a criar, assim como incentiva os animais a procriarem e gerarem vida. No outono vem o necessário convite à renovação, à troca das folhas nas árvores e das ideias nos seres humanos. Verão é momento da abertura, da relação, de aproveitar os dias longos para se conectar com o mundo externo.

Juntando as altas temperaturas às demais cobranças diárias, muitas vezes o que surge de resultado é mau humor, cansaço, agitação. Você já observou se tem agido conforme a estação do verão lhe convida? Nem sempre adequamos nossa rotina ao que esse clima pede: alimentação mais leve, repor com frequência o líquido perdido, usar roupas mais frescas, usufruir de espaços abertos. E num nível emocional, também buscar mais abertura e leveza, com certeza, contribuirá para um verão mais saudável.

Efeitos contrários

Por vezes é a cobrança pelo corpo perfeito que destrói nossa diversão. Ao invés de se entregar ao momento, muita gente fica preocupada em atingir um ideal que nunca chega. Já pensou se esse é o seu caso? Se for, desencane. Procure cuidar de sua saúde, claro, se alimentando bem, fazendo exercícios, mas para lhe gerar bem-estar integralmente. Não para alimentar culpa e medo.

Talvez a rotina de organizar as férias esteja gerando o efeito contrário ao relaxamento. Já pensou maneiras de curtir melhor esse tempo, sem tanto estresse? Delegar funções, facilitar mecanismos, procurar relaxar sem ficar preocupado com tudo e com todos. Apertar o botão “desliga” de vez em quando pode fazer muito bem!

Não está de férias enquanto todos seus amigos estão curtindo uma bela praia? Isso sem falar que nessa época incidem impostos, cobranças, enfim, coisas que contribuem para que a agitação possa aumentar ainda mais. Já que não há remédio, que tal curtir seu verão aproveitando as mínimas possibilidades de ser mais leve e suave? Tomar um suco natural bem geladinho na hora em que bate aquele calor, um banho em temperatura mais amena com sabonetes de aromas refrescantes, curtir a brisa na janela do seu meio de transporte. Enfim, tente buscar maneiras especiais de aproveitar esse solstício. É hora do almoço? Que tal afrouxar a gravata ou descer um pouco do salto? Levar um sabonete de rosto na bolsa, para no meio do dia refrescar sua pele pode ser uma maneira de se abrir para o próximo turno. Traga a natureza para perto: ouvir sons de água ajudam a manter a mente num estado de relaxamento que permite que as ideias fluam, como a correnteza suave de um rio.

Então, aproveite cada momento que a vida lhe apresentar para viver os convites do verão: leveza, abertura, iluminação, contato, ação. Do seu jeito, viva o seu verão!

Fonte: MSN Entretenimento

Anúncios

Outono: tempo de perdas e ganhos

 

Outono: tempo de perdas e ganhos

Se prestarmos mais atenção aos detalhes da natureza, perceberemos que cada estação do ano traz mensagens e convites específicos. No entanto, muitas vezes não conseguimos enxergar esses sinais porque insistimos em achar que não somos parte integrante do meio ambiente. Cada estação do ano nos convida a novas posturas e nos oferece uma série de aprendizados para a vida. O outono, é uma época especialmente recheada de significados que podem enriquecer nossas percepções. Esse período chega logo após o verão, aquela estação de tempo quente, aberto, de plena luz e em que nossos movimentos tendem para o mundo externo. Não é à toa que para chegar a uma estação intermediária precisamos das “águas de março”, uma chuvinha persistente que vai resfriando o tempo aos poucos.

O outono é uma época de transição entre os extremos de temperatura verão-inverno. Qual é a principal imagem que lhe vem à mente quando pensa em outono? É bastante provável que a maioria das pessoas responda a essa pergunta lembrando da clássica imagem das árvores perdendo suas folhas. Mas você sabe por que acontece essa perda? Se as árvores não as deixassem ir, não sobreviveriam à próxima estação. As folhas se queimariam com o frio do inverno e, assim, os ciclos de respiração da árvore se findariam bruscamente, o que resultaria no fim da vida. A natureza nos mostra mais uma vez a beleza de sua sabedoria: é preciso entrega, é preciso deixar ir o que não serve mais, para proteger o que é mais importante.

O que a princípio pode parecer uma perda é na verdade um ganho: ela ganha mais tempo de vida, e chega renovada às próximas estações.

Reflita a partir disso: o que você precisa deixar ir, do que você precisa abrir mão para seguir firme para os próximos ciclos, para continuar a crescer? O outono é também estação de amadurecimento dos frutos. É o tempo de deixar ir inclusive os resultados de nossos esforços, para que novas forças possam gestar outros futuros projetos.

Durante essa época é válido observar quais elementos em você precisam ser sacrificados para que o mais sagrado para sua vida seja preservado ou resgatado. Pense na palavra sacrifício a partir de sua etimologia: é um sagrado ofício, um trabalho, uma ação que possui um caráter sagrado, para além do superficial, que transcende o banal, que tem um significado maior.

Abra-se ao nascer de um novo tempo

No outono, é importante questionar se o medo e a dúvida estão impedindo seus ideais maiores de serem realizados. Reflita se alguns comportamentos repetitivos lhe afastam do seu real potencial criativo. Talvez seja chegado o momento de tomar consciência e assumir uma atitude de compromisso consigo, desapegando-se daquilo que não lhe serve mais, daquilo que esteja impedindo seus passos rumo às próximas estações de seu crescimento.

Não é simples, nem fácil, mas também não é impossível. Como tudo na natureza, nossos processos de mudança carecem de tempo para se instalarem. Tempo para ir amadurecendo, até que seja o momento da colheita. Passo a passo, reflita sobre os pesos desnecessários que podem estar atrasando seu caminhar, vá se desapegando e deixando ir.

Lembro agora as palavras de Tom Jobim: “São as águas de março fechando o verão, é promessa de vida no meu coração”. Mesmo que as águas pareçam dar fim ao melhor da festa do verão, na verdade, elas estão nos mostrando que a vida segue e novas estações virão! Acredite: observando a natureza podemos concluir que depois da noite sempre vem o dia. Acredite que vale a pena se libertar para deixar nascer um novo tempo. (Juliana Garcia – Publicado por MSN)