Chia, a semente da vez

13 motivos para consumir chia, a semente da vez

Ela está lotada de ômega-3, cálcio, fibras, ferro e diversos outros nutrientes

Novidade nas prateleiras brasileiras, a chia, uma semente encontrada no sul do México, está prometendo um caminhão de vantagens para a saúde. Riquíssima em uma série de nutrientes, o grão também pode ser um grande aliado da dieta.
Ela está disponível no mercado de três formas: óleo, farinha e grão inteiro. O óleo pode ser usado como temperos de saladas e pratos em geral, e a farinha ou o grão podem ser adicionados em iogurtes, vitaminas, tortas, bolos, saladas, sucos, entre outras receitas.
“A porção diária recomendada é de 25 gramas, o equivalente a uma colher de sobremesa”, diz a nutricionista Roseli Rossi, da Clínica Equilíbrio Nutricional. Caso você passe um pouco dessa recomendação, não há grandes problemas, mas é importante não exagerar e manter sempre a dieta equilibrada, pois a chia é um tanto calórica – são 164 calorias por porção da semente. Confira tudo o que essa colherzinha diária pode fazer pela sua saúde!

semente de chia - foto Getty Images

Efeito tira-fome
A semente de chia é rica em fibras tanto solúveis quanto insolúveis. A nutricionista Roseli Rossi, da Clínica Equilíbrio Nutricional, conta que essas fibras ajudam a regular o trânsito intestinal, evitando ou tratando a prisão de ventre, por exemplo. Enquanto a aveia possui 9,1g de fibras a cada 100g do grão, a chia tem 13,6g de fibra. “Ela também proporciona mais saciedade, pois em contato com líquido no interior do estômago forma uma espécie de ‘gel’ que dilata o estômago, ajudando também no emagrecimento”, explica.

coração - foto Getty Images

Ômega-3, o amigo do coração
É, sem dúvida, o carro-chefe nutricional da chia. A porção de semente de chia tem nada menos que 400% da nossa necessidade diária de ômega-3. É claro que quando pensamos em ômega-3, logo nos lembramos de peixes, principalmente o salmão, que é muito rico desse nutriente. Porém, de acordo com as nutricionistas, 100 gramas da semente de chia têm oito vezes mais ômega-3 que um pedaço médio de salmão.
De acordo com a nutricionista Roseli Rossi, esta gordura do bem é responsável por afastar de perto as doenças cardiovasculares. Ela reduz a formação de coágulos sanguíneos e arritmias, diminui o colesterol circulante no sangue e também aumenta a sensibilidade à insulina. “Além disso, o ômega-3 ajuda na regulação da pressão dos vasos sanguíneos uma vez que aumenta a fluidez sanguínea, evitando assim, o aumento da pressão arterial”, completa a nutricionista.
Além de todos esses benefícios, o ômega-3 é importante para fortalecer o sistema neurológico, além de evitar depressão e aumentar a absorção de nutrientes.

idoso se exercitando - foto Getty Images

Mais cálcio que o leite
Essa é para os intolerantes à lactose e precisam de uma fonte de cálcio segura – segundo a nutricionista Vivian Goldberger, do Emagrecentro, 100 gramas da semente de chia (equivalente a sete colheres de sopa) tem seis vezes mais cálcio que meio copo de leite integral – que tem em média 246 mg do nutriente. “O cálcio presente na chia ajuda na formação da massa óssea, evitando a osteoporose”, explica a nutricionista Roseli Rossi. Uma porção de semente de chia (25 gramas) tem cerca de 21% das nossas necessidade diárias de cálcio.

espinafre - foto Getty Images

Mais ferro que o espinafre
Uma ótima notícia para quem torce o nariz para espinafre e outros vegetais ricos em ferro, ou mesmo sofre de anemia ferropriva – necessitando, portanto, ingerir boas fontes de ferro. De acordo com a nutricionista Vivian Goldberger, 100 gramas da semente de chia oferecem três vezes mais ferro que a mesma quantidade de espinafre, por exemplo. Para ilustrar melhor: uma porção da semente tem 67.8% das nossas necessidades diárias em ferro.

músculos - foto Getty Images

Proteínas para os músculos
Ótima para quem faz atividade física e precisa de uma boa fonte de proteínas para a reconstrução muscular, 100 gramas da semente de chia carregam 16g de proteína em sua composição. “Enquanto em 100 gramas de arroz integral cru há 8 gramas de proteína e no milho verde cozido há 3 gramas, por exemplo”, conta a nutricionista Roseli Rossi. A vantagem da superdose é que a semente ajuda na manutenção de massa muscular, fornece mais energia para as células nervosas e ainda pode complementar as necessidades proteicas – uma porção da semente de chia tem 8.6% das nossas necessidades diárias nesse nutriente

mulher pensando - foto Getty Images

Carrega magnésio
Essencial para o pleno funcionamento do nosso cérebro e ligações cognitivas, o magnésio também está muito presente na semente de chia. “Em comparação com 100 gramas de brócolis, a semente de chia tem 15 vezes mais magnésio”, conta a nutricionista Vivian Goldberger. A porção possui 27.9% das nossas necessidades diárias desse nutriente.

vitamina a - foto Getty Images

Vitamina A para os olhos
A porção diária da semente de chia possui cerca de 20% das nossas necessidades dessa vitamina. “Ela melhora sistema imunológico e protege a pele e os olhos contra o processo de envelhecimento”, conta a nutricionista Roseli Rossi.

alongamento - Foto Getty Images

Potássio contra câimbras
Esse nutriente tem grande participação na ação muscular, sendo essencial para quem pratica exercícios físicos todos os dias. De acordo com as nutricionistas, 100 gramas da semente de chia têm duas vezes mais potássio que duas bananas grandes. Nesse caso você pode até consumir a dupla junto, garantindo potássio de sobra para a atividade física. Uma porção de chia tem 6.4% das nossas necessidades diárias de potássio.

meditando - foto Getty Images

Vitaminas do Complexo B
A semente de chia também possui em sua composição a niacina, a tiamina e a riboflavina, todas vitaminas do complexo B. Elas são fundamentais para o pleno funcionamento do nosso sistema nervoso, além de auxiliar no metabolismo das nossas células, fazendo com que nosso organismo todo funcione melhor. A porção da semente tem 13% das necessidades diárias de niacina, 4.6% das de riboflavina e 30% das de tiamina

idosos - foto Getty Images

Antioxidantes contra radicais livres
A semente de chia possui ácido cafeico e ácido clorogênico, ambos antioxidantes que ajudam a neutralizar os radicais livres, combatendo o envelhecimento celular e prevenindo nosso organismo contra diversas doenças, inclusive o câncer.

criança crescendo - foto Getty Images

Manganês extra
A porção da semente de chia tem 63.5% das necessidades diárias de manganês. “Esse nutriente participa na síntese de várias reações enzimáticas, além de estimular o crescimento dos ossos e do tecido conjuntivo”, conta a nutricionista Roseli Rossi.

pele saudável - foto Getty Images

Cheia de zinco
Esse nutriente melhora nossa imunidade, paladar, olfato e visão. Também promove a liberação do hormônio do crescimento e ajuda na formação de colágeno. Na porção de chia você encontra 12.3% das necessidades diárias de zinco.

comendo - Foto Getty Images

Rica em cobre
“Ele facilita a absorção do ferro, é catalisador na formação da hemoglobina, melhora imunidade e ajuda na formação de elastina e colágeno”, conta a nutricionista Roseli Rossi. A porção da semente possui 30.5% das necessidades diárias de cobre.

Fonte: Minha Vida

Você Come por Impulso?

Combata a compulsão alimentar descobrindo gatilhos emocionais

Procurar distrações é atitude que dribla vontade e proporciona prazer

GettyImages

 

Você já parou alguma vez para avaliar o que o leva comer de forma compulsiva? Na grande maioria das vezes, comemos sem perceber o porquê – nos empanturrando de comida, e acabamos ingerindo junto situações e emoções sem perceber.
Isso mesmo: comemos, ou melhor, engolimos com a comida raiva, medos, tristeza, solidão, e nem nos damos conta o quanto isso é prejudicial para nosso corpo. Na grande maioria das vezes, chegamos até a passar mal, sentimos o estômago pesar, dor de cabeça, mal estar, mas nem pensamos no motivo desses acontecimentos.
Quando paramos para refletir sobre esse comportamento, nos damos conta que a comida serve como forma de amortizar o que na realidade não queremos enxergar, ou mesmo resolver, seja por receio, crenças, ou para não realizar o enfrentamento frente ao que nos incomoda.

Será que olhar de frente para o que não está bem em nossa vida não é a solução para muitos de nossos comportamentos frente à alimentação? Convido vocês a prestar a atenção nos momentos que comem em demasia, e anotar os sentimentos presentes.
No processo de anotar o que se come e o que se sente, acabamos por enxergar que comemos por vários motivos – os quais a fome nem sempre se faz presente.
A dificuldade de dizer “não” é uns dos fatores que geram situações de estresse, e dificilmente temos condições internas de resolver essa forma de nos comportar. Aprender a confrontar situações que nos colocam em impasse é um bom caminho para evitar o estresse e engolir mais comida do que seria necessário para nos nutrir. Pelo contrário, acabamos nos nutrindo da raiva, da insatisfação, o que faz mal a saúde física e emocional.
Para não utilizar a comida como substituto para amenizar seu mal estar, recorra a um plano de ação que o faça alcançar um conforto interno, sem fazer mal a si mesmo. Toda vez que detectar em você situações que provocam desconforto, pode recorrer ao seu plano estratégico em busca de aliviar seus problemas, evitando comportamentos autodestrutivos que podem levar ao sobrepeso e obesidade.

Comportamentos assertivos em nossa vida nos auxiliam a trilhar um caminho de respeito com nós mesmos. Isso significa que, ao dizermos “não” quando necessário, expormos nossa forma de pensar e não deixarmos pendências nos incomodar, estaremos alcançando a maturidade emocional, sabendo resolver as situações de vida nos momentos adequados e não carregando o peso de algo que só vai incomodar.

Dar-se o direito de se presentear, ou de realizar atividades prazerosas, também é uma atitude assertiva. Tente desviar a atenção dos problemas do dia a dia e vivenciar momentos agradáveis, seja com família, com amigos ou mesmo sozinhos. Quando nos envolvemos com atividades como aulas de línguas, dança de salão, aeromodelismo, patchwork e bordado, desviamos nossa atenção da comida para algo que nos dá prazer. Isso equilibra o estresse que sentimos durante o dia e nos presenteia de forma inteligente.

Agora você pode colocar em prática as dicas acima, comprovando que você pode e consegue driblar os gatilhos emocionais que levam você a comer, dizendo não a esse prazer, gerando outros prazeres que alimentarão sua vida.

Fonte: Yahoo Beleza & Saúde

Arroz com Feijão – seus Benefícios para a Saúde!

Consumo diário de arroz e feijão controla glicemia e previne doenças

A mistura típica do brasileiro é rica em vitaminas, fibras e proteínas.

A quantidade ideal para consumo, segundo os nutricionistas, é sempre de duas porções de arroz para uma de feijão. Essa combinação tipicamente brasileira foi tema de uma pesquisa feita por estudantes e professores de nutrição da Universidade Federal de Alagoas. Eles avaliaram como anda o hábito alimentar dos hipertensos e diabéticos.

Veja mais detalhes e a Comparação de valores nutricionais e preços de alguns tipos de feijão

Fonte: Jornal Hoje

Comer Chocolate para Emagrecer?

Sim, chocolate na medida certa pode ajudar até a emagrecer, entre outros benefícios!

A semente do cacau tem substâncias benéficas para o organismo. Uma barrinha de 50 gramas diariamente pode ajudar quem quer perder peso e deve ser consumido no período de mais fome. O melhor chocolate é o meio amargo ou o amargo.

Chocolate na medida certa pode ajudar até a emagrecer

 Veja o video:
http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM1657777-7823-CHOCOLATE+NA+MEDIDA+CERTA+PODE+AJUDAR+ATE+A+EMAGRECER,00.html

Emagreça com Saúde

Dieta do Feijão Branco – Faseolamina – proteína que ajuda a emagrecer

Pesquisas recentes descobriram um composto presente no feijão branco que ajuda a emagrecer e reduzir os níveis de triglicerídios do sangue.

feijao_branco

O feijão branco possui uma proteína de reserva chamada de faseolamina. Quando ingerida, ela inibe a digestão do carboidrato e retarda a absorção de açúcares no sangue.

Porém a faseolamina só possui este efeito quando consumida em forma de farinha. Para isso lave o feijão normalmente e depois seque-o no sol ou sobre um papel toalha, nunca seque no forno. Depois de seco, triture o feijão num liquidificador e peneire. Pode ser passado no processador para conseguir uma consistência mais fina.

Para evitar acidentes em seu liquidificador, é importante triturar pelo menos 250 gramas de feijão branco (meio pacote) de cada vez, assim o impacto dos grãos no copo do liquidificador é menor. Evite guardar grandes quantidades do grão por muito tempo para não perder as propriedades nutricionais.

A receita é consumir uma colher de chá diluída em um copo de água, 30 minutos antes das principais refeições (duas vezes por dia). O máximo que você pode consumir é até 1 grama por dia, além disso podera provocar efeitos colaterias como diarréia e náuseas. Você pode misturar a farinha do feijão em um copo de suco também.

É essa mistura que vai garantir que parte do carboidrato dessa refeição, cerca de 20%, não seja absorvida pelo nosso organismo. Então, é como se tivesse comido uma quantidade bem menor de comida. Aproveite, siga a dieta e entre em forma nesse verão!

Você poderá utilizar o farelo que ficou na peneira para preparar pães nutritivos.

Fonte: Globo Repórter

Dor nas Costas – O que é Lombalgia?

Celulite? Conheça os alimentos que ajudam na prevenção e no combate à ela

Terapeuta corporal ensina quais são os alimentos ideais para quem quer evitar o problema. Confira receitas de uma salada e de sucos poderosos.

Cenoura, tomate e água de coco são poderosos contra a celulite

 

A celulite é um processo inflamatório, causado por alterações hormonais, má alimentação e falta de atividade física. A nutricionista Flávia Semenow indica os alimentos que podem estimular o problema e outros que ajudam a combatê-lo.

- Evite os alimentos que pioram o processo inflamatório. “São os ricos em açúcar, farinhas refinadas, gordura animal, frituras e com muito sal”.

- Tomate, beterraba e cenoura ajudam no combate à celulite. São alimentos diuréticos que diminuem a retenção de líquidos. Outros alimentos entram nessa lista: “A água de coco, por exemplo, é muito rica em potássio e muito diurética. Abacaxi, melancia e cebola também estão neste grupo”.

- Não deixe faltar no prato alimentos que melhoram a circulação e ajudam a eliminar as toxinas, como as folhas, principalmente as verdes escuras como a couve. “O brócolis e a soja também estão neste grupo. Temos também o rabanete, que além de melhorar a circulação e eliminar toxinas, participa na renovação celular”.

- Invista em chá verde, gengibre e pimenta vermelha, que são termogênicos, aceleram o metabolismo e queimam gordura. “Quanto mais gordura a gente perde, mais celulite a gente perde”.

- Reforce a dieta com alimentos integrais, ricos em fibras, e leguminosas, como feijão lentilha e grão de bico. “Eles ajudam a eliminar mais toxinas. Quanto menos toxina, menos celulite”.

- A aveia é considerada por muitos nutricionistas a campeã no combate aos furinhos. “A aveia contém silício, um elemento estrutural do colágeno, que atua na reorganização das fibras na pele. Por isso, ele melhora aquele aspecto de casca de laranja”.

- Alimentos que contêm substâncias anti-inflamatórias devem fazer parte do cardápio diário. Azeite, frutas oleagianosas, como castanhas e nozes, e as sementes de linhaça de girassol e gergelim são bons exemplos. “Eles contêm zinco, selênio, ômega 3 e 6, que são anti-inflamatórios e vão atuar diretamente no processo da celulite”.

- Coma alimentos que tenham substâncias antioxidantes, como as frutas vermelhas: “Elas combatem os radicais livres, que pioram o processo inflamatório”.

A nutricionista Andrezza Eufrásio ensina receitas poderosas para o combate à celulite:

Suco anticelulite

Ingredientes:
- 1 colher se sobremesa de salsinha picada
- 3 folhas de couve manteiga crua
- 1 fatia média de abacaxi
- 350 ml de água de coco
- 3 folhas de hortelã
- Suco de ½ limão

Modo de Preparo:
Bata tudo no liquidificador e sirva imediatamente, sem coar para não perder as fibras.

Vitamina Anticelulite

Ingredientes:
- 250 mL de leite de soja ou desnatado
- 5 morangos
- 2 colheres de sopa de aveia em flocos

Modo de Preparo:
Bata tudo no liquidificador e sirva imediatamente.

Suchá

Ingredientes:
- 250 ml de chá verde
- 1 pedaço de gengibre
- gotas de limão

Modo de Preparo:
Durante o preparo do chá verde, no momento da infusão, coloque também o gengibre descascado e picado. Coe e adicione gotas de limão. Sirva quente ou frio.

Salada Pele Lizinha

Ingredientes:
- ½ xícara de brócolis cozido
- ½ xícara de couve flor cozida
- ½ xícara de rúcula (ou outra folha verde escura)
- ¼ de tomate
- 1 fatia de abacaxi picadinho
- 100g de atum
- 2 castanhas-do-pará picadas
- Suco de ½ limão
- Azeite extra virgem

Modo de Preparo:
Misture todos os ingredientes e tempere a salada com o suco do limão e um fio de azeite.

Fonte: Jornal Hoje (Cristiane Leite Belo Horizonte)

Quer emagrecer? O chá verde pode te ajudar

Está comprovado: o chá verde pode ser um grande aliado para quem precisa perder uns quilinhos

Diz a sabedoria popular que o chá verde ajuda a emagrecer. Mas será que isso é verdade? Sim, de acordo com uma pesquisa da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz – Esalq (USP). O estudo, conduzido por Gabrielle Aparecida Cardoso, mostrou que o chá ajuda na perder peso e gordura corporal. Isso acontece o chá verde é rico em polifenois, os oxidantes que estimulam o organismo a ter maior gasto calórico. Cada 10g de chá contém 160 mg dos polifenois.
O estudo comparou os efeitos do chá em mulheres com sobrepeso ou obesidade grau I, divididas em quatro grupos, durante dois meses. As mulheres do grupo 1 tomaram chá verde (utilizando 20g da erva por dia; cerca de 10 colheres de chá), enquanto as mulheres do grupo 2 tomaram placebo (tipo de “remédio” que na verdade não contém substâncias médicas ou curativas; é utilizado apenas para induzir a crença de que a pessoa está sendo medicada). Neste caso, o placebo usado foi um tipo de chá diferente do chá verde consumido pelas outras voluntárias. As mulheres do grupo 3 tomaram a mesma quantidade de chá e praticaram exercícios físicos, enquanto as mulheres do grupo 4 tomaram placebo e também praticaram exercícios.

Os resultados da pesquisa mostram que o grupo 1 foi o que mais apresentou perda de peso: em média, 5,7 kg em dois meses. O grupo 3, da combinação de chá com exercício, também teve ótimas melhoras na saúde, como maior perda de gordura, maior ganho de massa muscular, maior aumento da força muscular e redução dos níveis de triglicérides O grupo 2 não teve perda de peso (apenas aumento da massa gorda corporal) e o grupo 4 teve reações parecidas com as do grupo 3, porém em um nível inferior.
Com isso, ficou demonstrado que o chá, combinado com atividade física regular, auxilia o organismo a ganhar massa magra, reduzir massa gorda, aumentar a massa muscular e utilizar a gordura corporal como fonte de energia.
Além disso, o chá verde também pode reduzir os riscos de desenvolver doenças cardiovasculares e de alguns tipos de câncer, melhora as funções fisiológicas, tem um efeito anti-hipertensivo, proteção ultravioleta, e aumenta a densidade mineral óssea.
“A única restrição em relação ao consumo de chá verde é não abusar da bebida durante a noite, porque ela contém cafeína, o que faz com que as pessoas fiquem mais ativas e com dificuldades para dormir”, diz Gabrielle. Fora isso, o chazinho está liberado.

Por Fernanda Lopes | Yahoo! Brasil

Consumo de leite após os 50 anos é tão importante quanto na infância

Nutricionistas indicam beber três copos de leite por dia. Rico em aminoácidos, ele também é recomendado para manter a hidratação do corpo.

Pesquisa aponta que leite pode ser mais eficaz do que água para hidratar o corpo

Uma pesquisa feita em uma universidade do Canadá apontou que em certas faixas etárias o leite é mais eficaz do que água para hidratar o organismo.

A alimento também faz sucesso entre as crianças, mas os nutricionistas dizem que ele também deve fazer parte do cardápio em outras fases da vida.

Depois da amamentação, dos seis meses aos 10 anos, a criança deve beber de dois a três copos de leite, por dia. Para garantir o desenvolvimento ósseo e muscular do organismo.

- dos 10 aos 14 anos, o ideal é dividir em três porções o consumo de leite ou algum derivado. Por exemplo, tomar um copo de leite no café-da-manhã, uma fatia de queijo no lanche e um copo de leite antes de dormir. Isto vai garantir o ganho de massa muscular e a boa formação dos órgãos ligados à sexualidade.

- dos 18 aos 50 anos, o consumo até pode ser substituído, sem prejuízo para o desenvolvimento do organismo. Em vez do leite, beber em média um litro e meio de água por dia e ingerir outras fontes de proteína, como carnes e frios, como peito de peru e presunto.

A partir dos 50 anos os nutricionistas dizem que o leite se torna tão importante quanto na infância. E não só como fonte de nutrição, ele é recomendado também para manter a hidratação do corpo. O indicado é beber três copos de leite por dia.

Por ser rico em aminoácidos, o leite demora mais tempo para ser absorvido do que água. “Mais do que dar os nutrientes que se precisa, como cálcio ou proteína, o leite tem uma capacidade de hidratar bem crianças e idosos”, explica Virginia Nascimento, nutricionista.

Fonte: JornalHoje (Maria Paula Carvalho Rio de Janeiro)

“Victoza” – Perder Peso sem Saúde – Não caia nessa!

Emagrecimento sem saúde – não entre nessa enrascada

GettyImages

De tempos em tempos aparece algum remédio “milagroso” que promete ser o sonho de quem quer conquistar um corpo esbelto. A bola da vez é o “Victoza”, medicamento para diabetes que vem sendo usado por muitas pessoas, muitas vezes por recomendações médicas, inclusive, para auxiliar no emagrecimento.

Não se engane: a ideia de emagrecer sem esforços e rapidamente é mito. Fazer loucuras para perder peso pode ter um consequências sérias para o seu organismo.

Como funciona?
O Victoza é um remédio novo, lançado em 2009, produzido para o uso de portadores de diabetes tipo 2. Ele contém uma substância chamada liraglutide, que atua na ação do pâncreas, modulando a insulina e o hormônio glucagon, e, consequentemente, auxiliando no tratamento da doença.
Essa mesma substância atua no sistema nervoso central, dando a impressão de saciedade, o que acaba diminuindo a vontade de comer. Desta forma, os diabéticos perdem peso por comerem menos do que comeriam sem o remédio.

Efeitos colaterais
Descrevendo assim o efeito parece promissor, mas é preciso tomar muito cuidado. Segundo nota oficial expedida pela Anvisa sobre o Victoza, não há estudos ou pesquisas que “comprovem qualquer grau de eficácia” para “redução de peso e tratamento de obesidade”. Além disso, a própria bula do remédio informa que, sendo um medicamento recente no mercado, é possível que ocorra “eventos adversos e imprevisíveis” durante sua uilização.
Algumas dessas reações adversas já foram apresentadas por muitos pacientes. De acordo com a Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica), durante a fase de pesquisas do Victoza, pessoas obesas e não diabéticas tiveram perda de peso média de 7kg, mas pagaram um preço alto por isso. Os principais efeitos colaterais foram: cefaleia, náuseas, vômitos e diarreia, que se atenuaram com o uso contínuo. Os casos mais graves, os pacientes apresentaram sintomas de pancreatite (inflamação do pâncreas), desidratação, alteração da função renal e distúrbios da [glândula] tireoide, como nódulos e casos de urticária.
Para a endocrinologista Rosana Radominski, presidente da Abeso, a propaganda acerca deste novo remédio é muito prejudicial, pois provoca uma corrida de pessoas aos consultório, interessadas somente na receita para conseguir o medicamento, e não em realmente cuidar melhor da saúde. “Isso ocorreu recentemente com o Rimonabanto (Acomplia) – a pílula da barriga”, lembra Rosana. “O paciente já chegava ao consultório pedindo a medicação. Temos que ter um pouco mais de paciência e de bom senso”, afirma.
Por isso é sempre bom lembrar que, para emagracer da forma correta, é preciso cuidar também do estilo de vida. Exercícios físicos e dieta balanceada são sempre uma opção melhor para perder peso do que a utilização de remédios que podem trazer grandes riscos à sua saúde.

Por Fernanda Lopes, especial para o Yahoo! Brasil

Entradas Mais Antigas Anteriores Próxima Entradas mais recentes

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 198 outros seguidores